Alterações nos veículos com multas até 6.000 euros e apreensão do veículo

4 anos ago by in Fiscalização
Polícia, operação STOP

Segundo a definição dada pelo IMTT, uma transformação consiste numa alteração da estrutura, carroçaria, motor, sistemas ou componentes, de um veículo matriculado de modelo aprovado. As transformações que afectem a segurança rodoviária só podem ser efectuadas depois de autorizadas previamente pelo IMTT. Estas transformações implicam alteração das características dos veículos, nomeadamente dos seus elementos de identificação ou classificação, e alteram sistemas, componentes ou acessórios objectos de homologação.

Conheça as multas pela falta de inspeção periódica obrigatória (IPO) ou extraordinária
O artigo 114.º do Código da Estrada estabelece que os sistemas, componentes e acessórios dos veículos estão sujeitos a aprovação de acordo com as regras previstas na regulamentação específica, prevendo coimas que podem chegar aos 6.000 euros para fabricantes e vendedores de equipamentos não aprovados e, aos 1.250 euros para o proprietário de veículo realizem transformações ilegais, ficando o veículo apreendido até que este seja aprovado em inspeção extraordinária.

A seguir são dados alguns exemplos de componentes que necessitam de aprovação, e que deverá ter especial atenção ao fazer alterações no seu veículo (não quer dizer que não possa mudar, mas na dúvida informe-se antes):
– Lâmpadas
– Pneus
– Buzina
– Espelhos
– Cintos de segurança
– Vidros
– …

As características dos veículos e dos respectivos sistemas, componentes e acessórios são fixadas em regulamento. O Decreto-Lei n. 16/2010 de 12 de Março (Regulamento da Homologação CE de Modelo de Automóveis e Reboques, Seus Sistemas, Componentes e Unidades Técnicas), é o exemplo de um decreto-lei que procede à regulamentação do n. 3 do artigo 114 do Código da Estrada.

Todos os sistemas, componentes e acessórios de um veículo são considerados suas partes integrantes e, salvo avarias ocasionais e imprevisíveis devidamente justificadas, o seu não funcionamento é equiparado à sua falta.

Considera-se assim transformação de veículo qualquer alteração das suas características construtivas ou funcionais e quem infringir o disposto é sancionado com coima de € 250 a € 1250.
Existem deficiências/alterações que só são detetadas nos centros de inspeção, outras há que são detectáveis sem a ajuda de qualquer aparelho ou máquina.

Solicitando a PSP sobre os procedimentos seguidos nas operações de fiscalização, esta remete para a consulta do Despacho n.º 5392/99 (2ª série) de 16 de Março da DGV (atual IMT), “Classificação das deficiências observadas nas inspecções de veículos”, destacando que “as inspecções periódicas visam confirmar, com regularidade, a manutenção das boas condições de funcionamento e de segurança de todo o equipamento e das condições de segurança dos veículos referidos no artigo anterior, de acordo com as suas características originais homologadas ou as resultantes de transformação autorizada nos termos do artigo 115º do Código da Estrada” e remetendo para o IMT a resposta a questões adicionais sobre esta temática.

“1 — As características dos veículos e dos respetivos sistemas, componentes e acessórios são fixadas em regulamento.”

2 — Todos os sistemas, componentes e acessórios de um veículo são considerados suas partes integrantes e, salvo avarias ocasionais e imprevisíveis devidamente justificadas, o seu não funcionamento é equiparado à sua falta (exemplo: A Portaria n.º 464/82 estabelece que “O banco do condutor será estofado” e os lugares dos passageiros “serão cómodos e convenientemente estofados”, o facto de os estofos estarem em mau estado geral pode ser “equiparado à sua falta” e sancionável com coima de 250 euros e apreensão dos documentos do veículo).

3 — Os modelos de automóveis, motociclos, triciclos, quadriciclos, ciclomotores, tratores agrícolas, tratocarros e reboques, bem como os respetivos sistemas, componentes e acessórios, estão sujeitos a aprovação de acordo com as regras fixadas em regulamento. (Atenção ao tuning: sujeito a coima até aos 1250 euros e apreensão dos documentos do veículo. Aplicar um escape “after-market” só é ilegal, se a peça não tiver aprovação (conforme o regulamento específico) e a alteração que fizer no veículo estiver regulamentada.)

4 — O fabricante ou vendedor que coloque no mercado veículos, sistemas, componentes ou acessórios sem a aprovação a que se refere o número anterior ou infringindo as normas que disciplinam o seu fabrico e comercialização é sancionado com coima de 600 a 3000 euros se for pessoa singular ou de 1200 a 6000 euros se for pessoa coletiva e com perda dos objetos, os quais devem ser apreendidos no momento da verificação da infração.

5 — É proibido o trânsito de veículos que não disponham dos sistemas, componentes ou acessórios com que foram aprovados ou que utilizem sistemas, componentes ou acessórios não aprovados nos termos do n. 3. (alguns exemplos em está sujeito a multa de 250 euros: remover emblema identificador da marca do veículo; retirar os retrovisores de motociclos (há quem o faça por questão de estética))

6 — Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de € 250 a € 1250, sendo ainda apreendido o veículo até que este seja aprovado em inspeção extraordinária.

No portal do IMTT, pode consultar um conjunto de alterações aprovadas mediante determinados pressupostos legais, nomeadamente para:

– Adaptação Deficientes: A adaptação de veículos de passageiros ao transporte de deficientes constitui um tipo de transformação tecnicamente diversificada que carece em geral de um projeto de transformação.

– Airbags: Em determinadas circunstâncias, os dispositivos do tipo airbag podem constituir um risco para a segurança dos passageiros. É o caso do transporte de crianças utilizando sistemas de retenção colocados em posição inversa em lugares protegidos por dispositivos do tipo airbag. A desativação de forma permanente de dispositivos de proteção dos passageiros do tipo airbag, nos bancos da frente dos automóveis, é requerida junto dos Serviços Regionais e Distritais do IMT.

– Carroçaria: A transformação da carroçaria de um veículo, carece de aprovação prévia sempre que esta seja alterada de forma significativa, sejam afetados elementos estruturais, características regulamentares ou que seja comprometida a segurança.

– Mercadorias em Passageiros: As transformações de veículos de mercadorias em passageiros são autorizadas apenas em veículos ligeiros. Dúvida: Poderá a remoção (total ou parcial) da antepara que separa os compartimentos de carga ao de passageiros ser sancionável com coima de 250 euros?

– Películas: É admitida a possibilidade de afixação de películas coloridas nos vidros das janelas dos automóveis ligeiros de passageiros e de mercadorias, desde que devidamente homologadas.

– Sistemas e Componentes: A transformação de sistemas ou componentes de veículos objeto de homologação, carece de aprovação prévia, devendo ser apresentados elementos que comprovem a manutenção das condições de segurança do veículo e a protecção do ambiente.

– Substituição Motor: A substituição do motor de um veículo deve ser efetuada de forma a ser assegurada a compatibilidade do novo motor com o veículo em termos de segurança e proteção do ambiente.

– Tipo Combustível: Nos termos da regulamentação específica, é admitida a possibilidade de alteração do tipo de combustível utilizado na alimentação do motor de um veículo. Uma transformação comum é a da adaptação à utilização de GPL.

– Instalação de Catalisadores: A transformação de veículos matriculados equipados com motores de ignição comandada, através da montagem de catalisadores destinados a reduzir a emissão de partículas poluentes, em veículos que não foram originalmente fabricados com aquele equipamento, constitui uma alteração de características que não é tecnicamente viável, motivo pelo qual a correspondente transformação não é aprovada pelo IMT.

– Instalação Filtros de Partículas: A transformação de veículos matriculados equipados com motores de ignição por compressão, através da montagem de filtros de partículas destinados a reduzir a emissão de partículas poluentes, constitui uma alteração das características do modelo de veículo homologado e como tal carece da aprovação deste Instituto.

Homologação de componentes

A homologação dos componentes incorporados nos veículos é constituída por duas fases, a aprovação do componente e a aprovação da sua instalação no veículo.

A maioria dos componentes que constituem o veículo necessita de uma aprovação, para que o veículo completo apresente níveis de segurança, de protecção ambiental e de qualidade satisfatórios. A obtenção da aprovação do componente é da responsabilidade do seu fabricante.

Para que o componente obtenha o certificado de homologação é sujeito a testes específicos e deverá apresentar resultantes dentro das disposições da legislação.

Para que o fabricante do veículo obtenha a aprovação de instalação do componente deverá possuir e apresentar a aprovação do componente, obtida pelo seu fabricante como foi referido anteriormente, à entidade homologadora. A instalação deverá cumprir com todos os requisitos legais aplicáveis.

Segundo o IMTT, independentemente de se tratar de um fabricante nacional ou de um representante de um fabricante estrangeiro, é necessário evidenciar a existência de procedimentos que assegurem a conformidade de produção.

Diversas Diretivas da União Europeia permitem nuns casos e obrigam noutros, a homologação de sistemas enquanto elementos de um modelo de veículo, ou de componentes para os veículos. Em alternativa à homologação segundo as diretivas da UE, é admissível em muitos casos a homologação de sistemas e componentes segundo os Regulamentos da Comissão Económica para a Europa das Nações Unidas (CEE/ONU e UNECE).

O Regulamento da Homologação CE de Modelo de Automóveis e Reboques, Seus Sistemas, Componentes e Unidades Técnicas, aprovado pelo Decreto-Lei n.o 72/2000, de 6 de Maio, foi por diversas vezes alterado de modo substancial, sendo por isso necessário, por razões de clareza, proceder-se à sua reformulação.

No caso de Veículos a Motor de Duas e Três Roda, pode começar por consultar o Decreto-Lei n.º 86-A/2010, de 15 de Julho, que Aprova o Regulamento Relativo a Determinados Elementos e Características, transpõe a Directiva 2009/108/CE, da Comissão, de 17 de Agosto, e revoga o Decreto-Lei n.º 267-B/2000, de 20 de Outubro.

Na Portaria n. 1080/97 de 29 de Outubro, por exemplo, podemos saber quais as prescrições técnicas fixadas por diversas directivas comunitárias relativas à aprovação de veículos a motor e seus reboques, veículos de duas e três rodas, tractores agrícolas e respectivos componentes se tornam aplicáveis em Portugal.

Para além dos sistemas e componentes cuja homologação já se encontra regulamentada por Diretivas da UE, existem outros elementos cuja aprovação pode ter um âmbito nacional, inserindo-se neste conjunto as chapas de matricula, os triângulos de pré-sinalização, placas retrorrefletores ou películas para colocação em vidros.

Cuidado com a contrafação de peças auto

No universo do automóvel, não é forçoso que seja o proprietário do veículo a decidir e a escolher as peças que serão montadas no seu automóvel. É muitas vezes o reparador que escolhe em seu lugar: ele pode decidir utilizar peças de qualidade inferior, ou até mesmo ilegais. Neste caso, pode acontecer que sejam incorporadas no seu veículo peças contrafeitas sem que o proprietário o saiba.

Faróis que encandeiam, para-choques menos resistentes, peças de carroçaria já com sinais de oxidação, soldaduras mal repartidas, filtros ineficazes, pastilhas de travão menos eficientes, etc. Muitas vezes de qualidade muito inferior e ilegais, as peças contrafeitas podem comportar riscos em termos de segurança.

Comprar pecas para reparação automóvel

Imtt regulamento homologação de veículos lesgislação, imtt alteração de motor, legislação faixas carroçarias carro, multa por falta de espelho, ponteiras carros é legal?, reparadores certificado gpl,

24 Responses to “Alterações nos veículos com multas até 6.000 euros e apreensão do veículo”


João Manuel
Abril 27, 2017 Responder

Tenho uma Ford Transit Autocaravana (Autovivenda).
Coloquei um esquentador a gaz nela e para isso, tive que abrir uma porta na lateral para a saída do ar quente, que se projeta cerca de 50 mm para fora da lataria.
Posso circular com ela assim ?
Gostava de trocar os seus espelhos retrovisores por outros maiores, uma vez que os de origem são pequenos.
Posso ?

filipe silva
Março 24, 2017 Responder

Boa tarde. tenho uma Renault megane 2 break e estou a pensar em trocar os faróis dianteiros de origem ( chamado olho de boi ) por uma oticas homologadas Angel eyes black…..como devo proceder para que não seja chateado num centro d e inspeçoes ou pela própria policia….? Gosto de andar com tudo direito e na legalidade mas com tanta burocracia e chicos espertos na autoridade uma pessoa nem sabe se procede bem ou mal….
Obrigado

Genevil83i
Fevereiro 12, 2017 Responder

http://foltex.com.pl/stacja-kontroli-pojazdow-chorzow.html
Buying a used or new vehicle might be a hard process if you do not know what you are actually undertaking. By teaching yourself about automobile shopping prior to head to the dealer, you could make points much easier on your own. The following advice might help your following buying journey become more enjoyable.

Generally deliver a mechanic together when buying a fresh vehicle. Car dealers are popular for marketing lemons and you do not want to be their following patient. If you can not get a technician to check out vehicles along, no less than be sure that you have him take a look at ultimate choice before buying it.

Know your restrictions. Prior to starting store shopping for your next auto or truck, make a decision how much you can manage to shell out, and follow it. Don’t neglect to feature desire for your calculations. You are likely to shell out all around twenty percent as a down payment also, so be well prepared.

Before attending a dealer, know which kind of vehicle you need. Research each one of you options before purchasing so you can evaluate which works best for your finances and family members requires. Shop around to learn simply how much you should pay for a possible car.

Before you sign any contract make time to read through every collection, such as the fine print. If there is something shown that you just do not recognize, tend not to signal till you receive an respond to that you simply understand. Unsavory salesmen can use a legal contract to insert several fees that have been not mentioned.

Should you keep your previous suggestions at heart the next time that you go purchasing a automobile, you may be prone to get a better deal. Getting a auto does not have as a headache. Just use the ideas out of this post and you could obtain the car you desire in a excellent cost.

MARIO DRAGHIE
Janeiro 7, 2017 Responder

OLÁ, VOCÊ PRECISA DE UM EMPRÉSTIMO? SE SIM, ENTRE EM CONTATO EU VIA EMAIL: MARIODRAGHIE28@HOTMAIL.COM

antonio
Dezembro 11, 2016 Responder

tenho umas janelas usadas sera que posso transporta las sem guia

António Cruz
Novembro 3, 2016 Responder

Na procura de esclarecimetos incessantes para evitar problemas, não tenho como bem entendido algumas dúvidas que agradecia a sua clarificação:

Por ter problemas nas costas e por os estofos já estarem em mau estado, mudei de bancos do meu carro para umas baquets semelhantes na função aos bancos originais (avançam e recuam; reclináveis…) ; só vi que tinham que estar bem estofados – sem buracos!?!?!

Os farois suplementares (que acresci dado que, quando ando no campo, os originais são fraquíssimos – uma renault 4), quando se anda na estrada, têm de andar tapados? ou nem se pode usar?

O pára choques é obrigatório?

Muito obrigado

Miguel
Maio 10, 2016 Responder

Se apertar uma ponteira na ponteira do automovel e nessessario legalizar? Ou nao e preciso fazer nada! E legal ou não?

Sérgio
Maio 3, 2016 Responder

Posso alterar a logomarca de um automóvel? Exemplo Fiat e colocar Citroen?

Rúben
Julho 16, 2015 Responder

Boa noite

Gostaria que me tirassem uma dúvida

Tenho em considereção trocar os fárois completos do meu carro por uns para o mesmo modelo mas angel eyes, homologados pela CE, mas encontro-me em dúvida porque, ja li vários textos e já me falaram de dar e outros me dizerem que não posso por porque não estar no livrete. A dúvida é se, dá para por no carro, sem ser preciso encaminhar para o imt o pedido de alteração dos fárois, ou se tenho de pedir autorização à imt e depois submeter a alteração?

Cumps

Ribeiro Johnson
Maio 6, 2015 Responder

Alguém pode ajudar com um exemplo de Memoria Descritiva Alteração de Viatura, Por Favor?
Cumprimentos Ribeiro 962590075

Portugalpoop
Fevereiro 15, 2015 Responder

País de VERGONHA, sempre que pessoas de outros países me perguntam ou falam de portugal, sinceramente, digo sem problemas nenhuns, que É UM PAÍS DE MERDA!, e que não sinto orgulho nenhum, de pessoas (“retardadas/burras”) a fazerem/aprovar tais LEIS, uma das razões esta no documento acima, em vez de DESCOMPLICAREM a situação deixando grande parte da população ter a LIBERDADE de ALTERAR (seus carros), inventam tudo e mais alguma coisa, complicam, obrigam a GASTAR DINHEIRO com coisas que nunca se concretizam “homologação… etc”, em vez de descomplicarem e permitirem o tuning, um MERCADO tão GRANDE que era capaz de oferecer muitos postos de EMPREGO e ajudar no desenvolvimento…. olhem por exemplo o japão, atualmente se os portugueses não fazem melhor é porque não os deixam!

Não é o tuning/ alterações que vão tornar as estradas mais inseguras, mas sim “o burro” por detrás do volante.
Permitir o tuning só traz benefícios para o pais.
Acidentes causados pelo “burro” acontece quer tenha o carro alterado ou não!

Solução:
Este tipo de leis necessita urgentemente de um “delete ” completo!

ah, e não é a toa que escrevi Portugal => portugal.

Domingos
Junho 24, 2014 Responder

Quando leio comentários de ignorantes que pensam que sabem tudo e afinal não sabem nada, apercebo-me porque realmente o país está como está. São pessoas super limitadas e como já escrevi, ignorantes. As alterações que normalmente se vêem são medidas de jantes/pneus, barras AA, suspensão, para normalmente rebaixar o carro, película nos vidros (que para os ignorantes e limitados, serve, para além de estética, para conforto dos ocupantes, reduzindo os raios UV que passam para dentro do carro, produzindo menos calor e outros efeitos dos raios UV, para além de quem tem um filho pequeno, ajuda muito ao seu conforto), entre outras. Isto tudo é segurança!!! Não é street racing, que mais uma vez os ignorantes não entendem. Lá por haver bestas que andam a fazer corridas nas ruas, ou onde quer que seja, não quer dizer quem tem um carro sem ser original seja uma besta também. Quer dizer talvez, que tem melhor gosto que algumas pessoas e se preocupa mais com a sua seguraçã e a dos outros pois um carro a alguns custa a pagar e convem mantê-lo durante algum tempo recorrendo infelizmente a material “ilegal”, cujo pagamos, iva e mais alguma coisa que eles inventem. Em vez de serem contra tudo e todos, sejam a favor de quem se preocupa convosco também, mesmo não conhecendo as milhares de pessoas com quem se cruzam diáriamente. Este país está estagnado na m3rd4, precisamente por essa atitude de grande parte dos portugueses. Deixa andar, e depois se alguém tem algo diferente ou melhor ou sabe-se lá ás vezes o que uma pessoa pensa, é deitar abaixo e repudiam pessoas que nem sequer conhecem, tendo ás vezes talvez até um bem pior em casa aquando de fazerem estas críticas. Lá por haver taxistas que são um perigo para a estrada não quer dizer que todos sejam, e no entanto nã os andamos a escolher o taxista menos agressivo, pois nao os conhecemos de lado nenhum. Tal como não se conhece as “pessoas que deviam ser todas multadas…” pois atrás de um ecran somos todos grandes homens. Calma sff…
É um desabafo, do que se passa neste país de mentalidades atrasadas, que não aceitam evolução ou algo diferente.
Em relação a IVA e impostos, já foi dito de sua justiça.
Peço desculpa a quem tenha de ler isto tudo.

Luis
Março 1, 2014 Responder

E só gente a criticar e bem pagamos IVA de td e mais alguma coisa e n podemos criticar os gostos de cd 1 mas por ex umas jantes uma medida a cima uma aa ou uns coilouvers dão uma maior estabilidade a um carro

luis oaz
Fevereiro 11, 2014 Responder

governo de merda ! pagamos iva de qualquer peças e peças das quais vêm homologadas para a u.europeia , santa ignorançia deste país …. so penssam em estradas , pontes , tgv, scuts , enfim país de merda , tuning é vida de muita gente.

Luís reis
Fevereiro 1, 2014 Responder

Relativamente à legalização de componentes esta cada vez pior antigamente havia uma taxa única para tudo o que quisessem adverbar no livrete hoje presentemente tem um imposto para casa alteração que se faça coisa que está mal visto o que os portugueses estão a passar. Eles estado também não estão a facilitar nada a vida aos cidadãos. Se em vez de multar em multar por pneus mais largos ou barras AA ou mesmo um kit de estética porque não multar carros com pneus carecas luzes fundidas chapa amassada vidros esta lados ou faróis danificados coisas que ponham em perigo as pessoas? Não. Eles têm que implicar com quem gosta dos seus carros. Eu não ando com o carro original mas tento mante lo o mais seguro possível tanto para min como para quem anda na estrada. Não entendo a ideia deles. Ou então porque não fazem uma seleção dos componentes de alteração e fazem uma almolgacao nos próprios componentes específicos para cada veículo? Custava menos uma pessoa pagar mais um X pelas peças e eles davam uma folha do material como estava amolgado para circular e nos proprietários simplesmente ter que andar com elas dentro do carro.. Custava menos a nós e eles ganhavam mais com isso. Assim vemos o tipo de pais que temos. Uma valente gestão de me¤da do governo. Coisas simples faziam a diferença é vivíamos muito melhor sem ter que andar sempre a fugir dos moinas da boina azul. E pena….

Daniel
Fevereiro 4, 2014 Responder

Todos reclamam e chamam do Tuning azeitisse mas tendo em conta de que em 2000-2003 todos gostavam porque era a moda do filme “Velocidade Furiosa” e só porque agora entraram novas tendências no mercado automóvel porque é que ainda se dão ao trabalho de criticar quem tem um carro Tuning onde se for preciso andam com um carro que esta a cair de podre? Concordo plenamente com a legalização de todas as peças que consideram ilegais, estas que dão mais segurança e estabilidade ao veiculo, estas peças como jantes, pneus, barras A-A, suspenções-coilovers e até mesmo o xenon que dá mais visibilidade. Nos dias de hoje encontram-se mais carros que se designa por Low ou Stance, uma tendência proveniente do Norte/Centro da Europa, países como Suíca, Áustria, Alemanha, entre outros… Nesses países, os carros rebaixados são apreciados, e passam pelas autoridades e nem sequer uma multa levam, agora se andaram feitos streetracers, aí terão de sofrer as consequências pois colocam a segurança dos outros utentes da via pública em risco. Cá em Portugal, as autoridades e anti-tuning vêm os amantes do stance, tuning, etc como corredores de rua, mas falam sem saber. É verdade que nas auto-estradas se encontram muitos carros “ilegais” prego a fundo, mas nem todos são assim, já para não falar dos jornalistas que temos, estes que se acham entendedores da matéria, desde quando um Honda é um PSA (Citröen e Peugeot)?! Mas voltando ao assunto, só porque uma pessoa altera umas quantas coisas em relação à estética do veículo é logo considerado um streetracer, NÃO! Já para não falar de que o Estado cobra o I.V.A destes artigos que os consideram ilegais, mas se os consideram ilegais porquê ainda cobrar o I.V.A?! As drogas MATAM, são ILEGAIS, e NÃO COBRAM I.V.A. Não haja dúvida de que Portugal é um país muito preconceituoso.

Para todos os que são contra o Tuning, Stance, ETC… preocupem-se mais com o dinheiro que dão ao Estado, pois os Mercedes, BMW’s, Audi’s, VW’s com que os deputados andam, são todos pagos de um só bolso, o POVO!

pedro
Fevereiro 1, 2014 Responder

falam falam falam, mas pessoas querem legalizar os carros e não conseguem….
legalizem o tuning e todos saem a ganhar com isso.. ate o estado, que anda a roubar o dinheiro do iva das tal peças ilegais….
isto são leis absurdas pois compramos os carros, pagamos, compramos as peças, pagamos se não nos deixam legalizar ao menos que não roubem o dinheiro do iva das peças
qualquer dia no registo em vez de dizer o nome do proprietariado diz que é do estado já que eles querem mandar no que não e deles!
a maior parte das alterações só vai ajudar na segurança do carro como as barras A-A, suspensões e jantes maiores..
concordo que não deve ser exagerado mas pelo menos LEGALIZEM O TUNING e lembrem-se de uma coisa TUNING NÃO É CRIME, É ARTE 😉

Passos coelho
Fevereiro 3, 2014 Responder

Tuning é arte? Hehehe… Labreguice também…. Deviam ser todos multados…. Estragar um carro que vem original com pará-choques bimbos… Até tinha vergonha de conduzir um carro desses… Além disso passam a valer metade do q era suposto valer… Proponho a apreensão desses veículos pois representam perigo para a condução…

Costa
Fevereiro 7, 2014 Responder

e pessoas como tu nem deveria opinar antes de dizer barbaridades! pois tambem há carros de trabalho que tem de ser alterados…
E se toda a gente gostasse do azul o que era feito do amarelo!?
A liberdade de cada um acaba onde começa a do próximo…
Já agora só porque um não gosta de personalizar algo, tinha mos todos de deixar de personalizar aquilo que nos pertence!
se o meu vizinho quiser pintar a casa de branco, não vou deixar faço um abaixo assinado, só porque eu moro ao lado e não gosto da cor… PF
Pessoas que querem mandar nos outros, e acham anormal os outros serem normais e gostarem de coisas diferentes, deveriam ir rapidamente tratarem-se junto de um psicólogo, isso chega até a ser doentio e altamente prejudicial para si e para quem o rodeia…!

Amg
Março 26, 2014 Responder

O sr deve ser dos tais DEVE ter VERGONHA que vai cheio de mariquices no vidro traseiro , e nas estradas com mais de uma faixa de rodagem do mesmo sentido vai na esqªa tramar a segurança dos outros,deves estar muito importado se o veiculo perde 1\2 do valor E como tudo na vida
“Há os MOTARD´s e os Motoqueiros” ,com esta digo tudo

Domingos
Junho 24, 2014 Responder

Como disse e bem: “Há os motards e os motoqueiros”. Tal como há o tuning e o street racing. Não seja ignorante. Talvez seja você quem vai do lado esquerdo ou no meio da autoestrada, e nem com uma apitadela saem de lá. Já pensou que talvez quem modifique os carros conduz mais devagar e com muito mais cuidado, pois se preocupa e preservar o seu veículo. Além do mais, nunca vi ninguém com estes carros que são “atentados” à sua saúde mental a permanecerem na faixa da esquerda como disse. Mas compreendo uma parte do que disse. Há quem tenha muito mau gosto quando altera alguma coisa num carro. Mas nisso é cumum o desalento, pois transmite uma imagem muito errada que tem de quem altera carros. Em vez de indignar com quem se preocupa com a sua segurança, vá chatear quem compra carro de dezenas ou centenas de milhares de euros a partir dos nossos bolsos, sem terem necessidade disso. para não falar em basicamente tudo na vida daqueles senhores é pago por nós e nós/ o senhor, estamos de perninha aberta dizendo “sim dói muito, mas até gosto”. Preocupe-se com isso e não com quem também se preocupa com a sua segurança e da sua família.

Sou Portugues
Fevereiro 1, 2014 Responder

Então não Ide buscar IVA aos componentes/partes ao que chamam Tuning! Melhor ,não importem ,não vendem. E ilegal? Entao porque vão buscar IVA ao que e ilegal? Pais das bananas.

gabriel
Fevereiro 1, 2014 Responder

boas e em relação a rebaixamento do veículo e a barra AA da mais segurança e nao tem riscos nenhuns para o ambiente….

Passos coelho
Fevereiro 3, 2014 Responder

Mas é alteração de características na mesma… Dá multa…

Leave a Comment


%d bloggers like this: